>
Comida de rua: Uma herança cultural
  • É do cachorro!!
    É do cachorro!!
  • Vai um?
    Vai um?
  • Peixinho freguês?
    Peixinho freguês?
  • Assa na hora!
    Assa na hora!
  • Churrasquinho de gato, R$ 1,00!
    Churrasquinho de gato, R$ 1,00!
  • Pronto pra viagem!
    Pronto pra viagem!

Comida de rua: Uma herança cultural

O termo “comida de rua” é utilizado para identificar alimentos e bebidas prontos para o consumo, preparados e/ou vendidos nas ruas; em portas de igrejas, escolas, cinemas; em tendas, que se espalham por praias, praças e outros lugares públicos. Esses alimentos são comercializados por vendedores ambulantes, em todas as partes do mundo e consumidos por todas as classes sociais.

No Brasil esta atividade começou com as escravas de ganho. Para complementar o orçamento doméstico de seus senhores, elas percorriam as ruas das cidades com tabuleiros, vendendo beijus, acarajés, cuscuzes, bolinhos e outras iguarias. A prática é herança trazida pelos negros da costa ocidental da África.

Neste trabalho procuramos apresentar cenas do cotidiano, na cidade de Salvador, que ilustrem este hábito cultural. Buscamos ressaltar as formas de exposição e distribuição espacial do alimento, as expressões dos vendedores e, principalmente, a diversidade dos alimentos oferecidos pelas ruas da cidade.

Carolina Albuquerque

Edna Matos

2008.2

Comentários