>
Uma metáfora da vida
  • “Mais um personagem efêmero da sua trama”
    “Mais um personagem efêmero da sua trama”
  • “Essa palavra presa na garganta”
    “Essa palavra presa na garganta”
  • “Não vale a pena despertar”
    “Não vale a pena despertar”
  • “A noiva do cowboy era você, além das outras três”
    “A noiva do cowboy era você, além das outras três”
  • “A dor da gente não sai nos jornais”
    “A dor da gente não sai nos jornais”
  • “Olha o público cansado de esperar / O espetáculo não pode parar”
    “Olha o público cansado de esperar / O espetáculo não pode parar”

Uma metáfora da vida

O teatro é instrumento de expressão humana. É a transformação do cotidiano e da história em arte. Ele aponta tudo o que é vivo. É um simulacro da realidade. O corpo, os gestos, o cenário, tudo conspira para o que realmente importa: o sentimento.

A vida é um teatro em que não há possibilidade de ensaios. Nos maquiamos para construção de nosso personagem diário. Muitas vezes, a nossa vida social é a interpretação mais difícil. Por isso, o teatro é uma arma que explode contra qualquer repressão.

A maquiagem, o cenário, as cenas, os atores e os espectadores são todos componentes do drama e da comédia humana. Tudo é reunido em um só lugar para a representação de uma mentira. Os atores abdicam de sua carne e a cedem para um espírito estranho e, ao mesmo tempo, familiar ao passo que é só mais um caricatura do grande antro social que nós vivemos. Essa abdicação serve para entender a mente de outros seres, que simplesmente podem ser alguém como o espectador.

Talvez o teatro seja a melhor das mentiras. Retrato do amor, da dor, da alegria, da guerra, do silêncio, da tragédia que é existir. Uma metáfora da vida em que a personagem nasce e morre todo dia.

Luciana Rodas

Luciana Rodas

Paula Janay

Paula Janay

2007.2

Comentários