>
Personagens da Informalidade
  • PELÉ, vendedor de relógios.
    PELÉ, vendedor de relógios.
  • Relógios
    Relógios
  • SEU ANTÔNIO, vendedor de óculos.
    SEU ANTÔNIO, vendedor de óculos.
  • Óculos
    Óculos
  • DONA VILMA, vendedora de eletro-eletrônicos
    DONA VILMA, vendedora de eletro-eletrônicos
  • Eletro-eletrônico
    Eletro-eletrônico

Personagens da Informalidade

Nos arredores do Terminal Rodoviário de Salvador, os chamados “ambulantes”, os nossos “camelôs”, abrem as suas barracas cedo, às 6 da manhã, e se preparam para ir para casa somente às 9 da noite. São homens e mulheres, jovens ou não, que sustentam a família com respeito e dignidade, fazendo funcionar a cada dia a máquina do comércio informal, que nunca pára. A maioria deles faz as refeições ali mesmo. Ao final do dia de trabalho, os produtos são guardados no próprio local e um vigilante, pago por eles, vigia as barracas durante o turno noturno. Com a chuva, o movimento cai. No verão, há mais facilidade em vender as mercadorias. Mas, fazendo chuva ou sol, eles estão lá, vendendo aquilo que precisamos comprar.

retrato_alan.jpg

Alan Botelho


retrato_daniela.jpg

Daniela Ribeiro

2006.1

Comentários