>
Por Excelência: Casmurros
  • Livro
    Livro
  • Apaixonados
    Apaixonados
  • Olhos de Capitu
    Olhos de Capitu
  • Mãos
    Mãos
  • Triângulo Amoroso
    Triângulo Amoroso
  • Dom Casmurro (Velho)
    Dom Casmurro (Velho)

Por Excelência: Casmurros

Nascemos e morremos casmurros. Para uns, isso é claro desde o primeiro lampejo de consciência, outros carregam isso empacotado em latência, e muitos embalam sua existência no tenebroso pulsar da inconsciência.

Casmurros por excelência.

Meter-se consigo mesmo é essencial, vital; muitos repetem ao longo dos séculos que o homem é um ser social. O homem é um ser social por ser só, verdadeira e assustadoramente só.

Basta um minuto de silêncio e uma brevidade de introspecção para que a sensualidade da psique nos convide ao desnudo; aceitar ou recusar não nos cabe, somos tragados pelos labirintos internos.

Casmurros por excelência.

E brotam medos e desejos, cada poro deixa escapar uma pesada gota de imperfeição. Fica difícil respirar assim. Quero aquela pessoa só pra mim, aqui dentro a guardo numa redoma do mais delicado e impenetrável vidro, mas e lá fora?

O ciúmes é alado, voa implacavelmente em meu céu, transforma-o em inferno. Quero aquela pessoa só pra mim.

Casmurros por excelência.

O mais puro amor contaminado visceralmente com o mais impuro sentimento. Tudo começa a ruir. Só me resta eu e as pesadas gotas de imperfeição, que não mais saem pelos meus poros, mas agora rasgam cada espaço de alma, destroem cada palmo de chão. Tudo acabou.
A culpa? Porque sim, alguém sempre é culpado. A culpa não foi, nem jamais será minha, isso afirmo com certeza.

Casmurro por excelência.

Foto: Brisa Dutra

Brisa Dutra

Foto: Rafaela Feitoza

Rafaela Feitoza


2005.2

Comentários